terça-feira, 20 de março de 2012

ESCOLHAS !?!

-  Eis que, hoje, eu ponho diante de vós a bênção e a maldição -

Pode soar radical para alguns, mas, as nossas escolhas geralmente se resumem a um resultado positivo ou negativo. Nossas escolhas são a arma mais poderosa para  nossa vida. Elas podem nos conduzir a um dos resultados propostos por Moisés: "a benção e a maldição", isto é logicamente bem mais complicado do que parece. Afinal quem nunca fez uma escolha da qual se arrependeu? Com exceção,  provavelmente, apenas de Cristo, todo o ser humano já fez uma escolha que se resumiu em maldição,  ou seja, resultado ruim (negativo). E Isto, é claro, por um motivo também muito simples: "Como prever qual escolha nos trará o resultado positivo?"
Acredite existe uma forma de prever não o futuro (que a Deus pertence) mas os resultados que virão de nossas escolhas. É baseado nesta previsão de resultados que Moisés tece sua contundente explanação sobre benção e maldições.
As regras para se prever resultados são na verdade bem simples.

  1. Entenda suas escolhas.
    para escolher é preciso ter ciência desta escolha, não faça uma escolha se você não entendeu o que ela significa. Entender a escolha é entender as principais ações envolvidas nesta escolha.
    Ex.: na escolha de uma profissão. Procure saber com e/ou no quê exatamente você vai trabalhar.
  2. Como essa escolha se relaciona com Deus?
    Esse é um ponto muito delicado, principalmente por sermos as vezes um tanto exclusivistas no século XXI, é preciso colocar sim Deus no meio da situação. Esta escolha vai contra a palavra Deus? Esta escolha atrapalha o meu relacionamento com Deus? 
    É realmente indispensável que façamos essa avaliação, pois seja quais forem as respostas que encontrarmos, não seremos impedidos de tomar esta escolha. As respostas parecem negativas neste quesito é melhor repensarmos esta escolha.
  3. Quem será afetado além de mim?
    Se todo filho fizesse essa pergunta antes de tomar uma decisão, seria uma benção para a humanidade. (e os pais digam amém). Saber discernir quem está envolvido direta ou indiretamente por nossas escolhas. Pode Evitar que magoemos as pessoas que amamos ou que mais nos amam.
    Olhar as relações dessa escolha é uma capacidade utilíssima, e se você conseguir coloca-la em prática, muitos traumas por escolhas erradas serão evitados.  
Agora é mais do que óbvio que, será preciso esforça para aplicar estas três provas as nossas escolhas mais arrefecidas. No calor de uma discussão, é praticamente impossível ponderar prós e contras. Entretanto, a maioria das escolhas estão no dia-a-dia, as mais importantes geralmente tem espaço para a divagação. Então não exite em prever os resultados mesmo das mais simples escolhas. Isto o irá treinar para escolhas maiores, e será mais fácil a cada escolha enxergar qual escolha vai resultar em benção.
Moisés aprendeu ao longo de sua jornada com Deus, como e quais escolhas produziam a benção de Deus, e também por sua experiência como juiz viu as escolhas que produziam a maldição. Então munido dos mandamentos de Deus, e de uma vida dedicada ao bem, escreveu para Israel e para quem se uni-se a Israel um tratado a respeito das escolhas, assim, mesmo depois de sua morte seria possível continuar prevendo os resultados de suas ações. Isto assegurou que eles fossem prósperos enquanto usaram este tratado. Quando Israel decidiu se fazer suas escolhas independente deste, o resultado foi exatamente o que Moisés havia prevido, maldição. Isto por que não depende de acreditar ou não na palavra.  A Palavra de Deus é uma Lei universal, e nem um til ou virgula dela cairão. Então mesmo não acreditando minhas escolhas podem ser contrarias a Palavra ou não. Se elas forem contrarias a palavra, elas produzirão maldição. 
Existem é claro centenas de áreas de escolha diferentes em nossa vida, e como multiplicação parece que temos em cada dia muito mais escolhas do que no dia anterior. É preciso sabedoria para não nos tornarmos reféns da indecisão. A indecisão é a maior adversária da escolha! Ela tenta nos por medo e assim nos parar no processo de previsão de resultados. O medo dos resultados surge principalmente quando não conseguimos nos concentrar nas três etapas citadas acima, ou simplesmente quando parece-nos não haver outra escolha. Contra isto é mais difícil  lutar, o grande trunfo neste caso é a determinação. Quando anos mais tarde Josué se encontrava em uma situação extremamente difícil com o povo de Israel, ele usa a previsão de resultado e faz sua escolha, que é contraria a vontade e a escolha de todo o povo. Embora estivesse "sozinho" em sua escolha ouve determinação para superar a indecisão do povo.
- Porém, eu, e a minha casa, serviremos ao Senhor.
Sua escolha pode ser contraria a maioria, ou a de todos, se ela estiver a favor da Palavra, basta manter-se determinado, e o resultado vai ser benção.
Boas Escolhas!!!